Instituto Universitário de Arte, Tecnologia e Cultura
MINDELO | S.VICENTE - CABO VERDE

Inauguração da II fase do Museu da Pesca . Tarrafal . S. Nicolau

Museu da Pesca, 5 anos de trabalho de investigação aplicada, um projecto que retrata de forma cabal o modo de fazer do M_EIA.

Quadro conceptual
O Museu da Pesca – Museu da SUCLA é um museu inédito nas ilhas. Nascido de uma parceria público/privado, é a primeira experiência de museologia em Cabo Verde na qual o Estado é parceiro da sociedade civil na criação e instalação de uma instituição museológica de interesse publico. Um equipamento cultural e educativo que responde aos desafios da nova museologia veiculados pelo ICOM e pela UNESCO, como uma “instituição ao serviço da sociedade, da qual é parte integrante e que possui nele mesmo os elementos que lhe permite participar na formação da consciência das comunidades que serve”. Uma nova proposta no campo da museologia que implica mudanças no conceito tradicional de museu reconhecendo a sua contribuição no desenvolvimento social, promovendo a inclusão cultural, identidade e participação da comunidade na nova prática museal.

O Projecto de Museu da Pesca no Tarrafal de S. Nicolau, foi promovido pelo depositário e proprietário do acervo e do complexo edificado, Sr. Joaquim Pinheiro Spencer (Nho Djack Pinheiro). Teve a parceria do IPC, Instituto do Património Cultural; do M_EIA, Instituto Universitário de Arte, Tecnologia e Cultura; do IAHN, Instituto do Arquivo Histórico Nacional e ainda do Museu da Baleia de New Bedford, EUA.

A sua missão científica, cultural e educativa assenta em programas de investigação nos domínios da pesca em particular e da cultura cabo-verdiana em geral; em exposições permanentes e temporárias e ainda em acções educativas propostas e geridas por um serviço específico, em articulação com as estruturas educativas mais próximas.

No plano promocional, o museu suporta-se numa loja de venda de produtos do mar, processados, objectos de artesanato, livros, prospectos, postais, posters e outras lembranças. Um serviço de cafetaria com uma ampla esplanada virada para a baía do Tarrafal completa o serviço comercial e de apoio ao visitante.

O Museu da Pesca, constitui por isso uma oportunidade para uma nova abordagem da museologia no país, desde o seu desenho conceptual, passando pela instalação de serviços e de exposições até à sua programação. Também para implantar um novo modelo de gestão, de conservação e curadoria, abrindo novas possibilidades na orientação conceptual de futuros museus de forma a que estes possam vir a consolidar-se como instituições que possam contribuir para o desenvolvimento local em toda a sua dimensão; cultural, pedagógica, económica. O Museu da Pesca buscará contribuir para que a museologia/museografia se traduza num novo modelo de estabelecimento cultural e educativo, vivo, participado e fruído pela comunidade donde emana e onde se insere.

O Museu da Pesca não está fechado num edifício nem num território: Tarrafal da ilha de S. Nicolau. Esta perspectiva museológica que conforma o conceito do Museu da Pesca contribui para que as acções museológicas possam ser programadas e processadas noutros territórios abrindo assim amplas possibilidades para a realização de novas iniciativas de museologia noutras regiões da ilha de S. Nicolau, por exemplo na do Carriçal e da Preguiça onde se localizam as antigas Estações de Baleação Costeira.

Do ponto de vista metodológico esta abordagem incentiva a busca de soluções criativas mais consistentes para a conformação conceptual do museu que será um meio, não um fim enquanto instituição educativa. Será, essencialmente, um instrumento cultural ao serviço da população, uma instituição integradora e um equipamento central de desenvolvimento comunitário. Deverá abrir à participação comunitária, inclusive nos processos de gestão, evitando as dificuldades de comunicação instituição/comunidade, muitas vezes desmobilizadores de interesse cultural e educativo. As colecções em exposição não serão o elemento central da proposta museológica do Museu da Pesca. Serão eixos de diálogos, de dinâmicas criativas e de curiosidade cultural; serão essencialmente instrumentos educativos fundamentais ao serviço da comunidade e focos de atracção de visitantes.

O Museu da Pesca exprime, por isso, um conceito de museologia aberta às múltiplas realidades que expressa a diversidade do país, a sua natureza arquipelágica, as suas características regionais, a sua história, a sua contemporaneidade.